Dos tradicionais Blogs para Redes Sociais

Pessoalmente tenho sido um blogueiro a alguns bons anos e tenho resistido a trocar minha plataforma de expressão/escrita dos Blogs para as Redes Sociais, literalmente. Até hoje!

Essa teórica “resistência” para escrever diretamente em Redes Sociais não tem relação com a idade, medo ou não ser aberto a mudanças.

Tem relação com minha paixão por blogs, pela minha dedicação em ajudar a evoluir está plataforma e por ser um dos meus hobbies. Mas tem sido satisfatório o suficiente? Até mesmo um hobby precisa evoluir.

Então resolvi tirar um tempo para pensar nesta mudança, chegar a um consenso e decidir da melhor forma possível. Tive oportunidade de analisar diversos cenários e profissionais que fizeram essa transição muito bem.

Mas qual plataforma utilizar então? Linkedin, Facebook, Instagram. Cada uma tem sua rede de comunicação, algumas mais focadas em profissionais e outras no pessoal, imediativo. Pode existir posts diferentes por Rede Social, sim. O blog deve continuar? Sim, mas desta vez ele não vai ser a origem para tudo e sim um agregador de muitas origens.

A arquitetura da informação do blog muda, ele continuará com os posts anteriores, terá textos escritos direto nele, mas o foco é a apresentação pessoal e não mais unicamente posts. [como dito a dois parágrafos acima ]Além de não ser mais a única origem e sim um agregador de diversas fontes.

Como dizia George Bernand Shaw,
É impossível progredir sem mudança, e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada.

Pensando em mudar para uma aplicação estática

Cuidar de um blog pessoal dá trabalho, engana-se quem diga que não. Existe um trabalho em atualizar a engine, manter suas costumizações, pagar a hospedagem, gerenciar todo conteúdo e muito mais está por trás dessa tarefa.

Além disso, você tem que pensar em custos e inovar sempre, você sabe que os mecanismos de busca e análise sempre inovam e você tem que estar junto. Pensando nisso tudo, comecei a pensar em conteúdo estático. Este tipo de alteração que mais parece uma desevoluir tem somente vantagens.

WordPress

AMO o WordPress. Muitos não gostam, mas o WordPress é uma ferramenta fantástica que resolve muitos problemas quando se trata de criar websites e qualquer outra que dependa de um CMS. É simples, tem uma comunidade gigante, com soluções para qualquer tipo de problema: basta fazer uma pergunta no Google e pronto, você encontra a resposta. Mesmo assim você precisa dar bastante atenção para suas atualizações, performance, configurações e tudo mais.

Mas ainda assim e preciso ficar um tempo pensando em performance, isso vai além dos plugins de cache que você queira usar.

Apesar do custo, sim ele tem um custo de hospedagem e consumo que o tráfego e o mysql vão gerar, além dos snapshots e backups.

Hugo

Andei analisando o Jekyll e o Hugo, que no seu site tem uma série de sugestões, a principal é focar na trasnformação dos seus posts.

O Hugo é um sistema gerador de arquivos estáticos desenvolvido com a linguagem Go. O setup é simples e em poucos minutos você já está com o Hugo na sua localhost. Com ele é possível:

Mas porque não Middleman? Embora eu tenha uma facilidade maior com Middleman por conhece-lo há mais tempo, o Hugo tem algumas facilidades interessantes, por exemplo:

  • Migração do seu conteudo de forma fácil;
  • A geração de estáticos é muito rápido
  • Gestão de permalinks
  • Suporta vários tipos de frontmatters: json, toml e yaml
  • A forma de templating usa Sections, Archetypes e Types
  • Boa oganização e gestão de Taxonomias
  • Suporta Syntax Hightlighting nativamente
  • Diversos extras

Então,

Apesar dessa propaganda gratuita toda para o Hugo ainda continuo com o WordPress, mas estou pensando nessa nova possibilidade e suas vantagens.

Full Stack Developer

Sempre procurei o que pudesse definir de melhor forma como eu trabalhava. Então surgiu o Full Stack Developer.

Sempre fui Front-End e Back-End

Quando falamos em tecnologias de desenvolvimentos necessárias para um desenvolvimento web, falamos em :

  • HTML5
  • CSS3
  • JavaScript
  • UX / UI
  • Conceitos como Mobile First, RWD, etc.

Mas como Back-End developer, também trabalho com:

  • PHP
  • Java
  • Python
  • .Net
  • Banco de Dados
  • etc.

Nos últimos tempo tivemos a evolução do JavaScript com o Node.JS que também é utilizado por profissionais Front-end.

Full Stack Developer, nada mais é do que um Front-End Developer que também é um Back-End Developer, ou como muitos sites descrevem, um Leão Branco.

Para quem não leu ainda sobre essa definição, todo Leão tem um gene que dá a ele a possibilidade de ser um Leão Branco, são raros os que nascem assim. Portanto, excelentes Full Stack Developers são raros.

Não é necessário que você seja o melhor Front-End e o melhor Back-End, mas deve ser hábil em ambas.

A rapidez em que o progresso dos dois mundos evolui, pode fazer com que você perca alguma atualização ou tenha o conhecimento superficial de uma ou nas duas áreas.

Em grandes empresas, dificilmente terá um Full Stack Developer, mas em Startups, pequenas e médias, é possível e muito provável acharmos um Front-End que também é um Back-End.

Bom, fica a cargo de cada um e de uma discussão mais ampla sobre o tema, até que ele seja realmente aceito e implementado por empresas.

Minha semana WordPress

Está última semana passamos por algumas configurações básicas para o WordPress. Principalmente na parte de performance.

Trabalhar com o WordPress é algo que gosto bastante e que considero muito fácil. Infelizmente a maioria das empresas não compreende o poder e as vantagens de trabalhar com esta ferramenta incrível. Mas aos poucos espero que isso mude.

wordpress-edersonmelo-2

 

Read more

WordPress, Otimize o MySQL

Além das opções que você pode ler nos posts anteriores em WordPress, como o uso de Cache, outra dica é otimizar o MYSQL de duas maneiras, a primeira é instalando e utilizando o plugin WP-DBManager.

Lembre-se sempre: Faça o backup da sua instalação e da sua base de dados!

Após instalar o plugin WP-DBManager vá no menu Database, selecione Repair DB e clique em reparar, selecione a opção Optimize DB e clique em otimizar.

A outra maneira é fazendo a otimização manualmente via phpMyAdmin.
Read more

WordPress, Domando o WPCron

O WPCron (WordPress cron) é o sistema de eventos agendados – também conhecidos como scheduled events – do WordPress. Mas o que é um evento agendado?

Um evento agendado é uma ação programada para ser executada;

Sempre que alguém visita o seu site, o wp-cron.php será executado e isso acarretará em um uso desordenado e muitas vezes desnecessário causando mais processamento e uso de recursos no servidor e trazendo também lentidão ao site.

Deixá-lo habilitado da forma padrão só irá elevar o load do servidor então o Cron só precisa ser executado quando você fizer alguma atualizações em seu WordPress, desabilitar o seu comportamento normal para ser executado a cada vez que um visitante acessar o seu site pode ser útil, para reduzir o consumo de recursos do servidor.

Read more

WordPress, Otimizando wp-config.php

O wp-config trata das configurações sobre a base de dados, chaves únicas de autenticação e salts (para segurança) e o modo de desenvolvimento ou modo debugging do WordPress para desenvolvedores.
Mas como todo o WordPress pode ser otimizado, então porque não?

Desabilite a revisão de artigos:
define(‘WP_POST_REVISIONS’, false);

Configurar tempo dos salvamentos automáticos
define(‘AUTOSAVE_INTERVAL’, 600); // Valor em segundos

Desabilite o WP_DEBUG
define(‘WP_DEBUG’, false);

Este pouco de alterações já fará uma boa diferença, pode acreditar.

WordPress, Diminua o número de consultas ao banco de dados

Seguindo a linha de performance simples em WordPress, temos a opção que eu venho usando bastante para diminuir o número de consultas ao banco de dados.
Ao invés de usar as tags do template para requisitar chamadas no banco de dados, substitua-as por caminhos absolutos/estáticos é mais eficiente.
No arquivo header.php do seu tema você verá varias tags que farão consultas ao banco de dados:

<html xmlns=”http://www.w3.org/1999/xhtml” <?php language_attributes(); ?>>
<head profile=”http://gmpg.org/xfn/11″>
<meta http-equiv=”Content-Type” content=”
<?php bloginfo(‘html_type’); ?>;
charset=<?php bloginfo(‘charset’); ?>” />

Read more

WordPress, use o Cache

Se você usa o WordPress(se não usa, eu recomendo), por padrão todos deveríamos otimizar o tempo de carregamento das páginas, melhorar a velocidade de resposta, navegabilidade para o usuário, diminuição de uso do hardware do servidor e a probabilidade do blog sofrer menos overload (sobrecarga).

Como resultado disso você vai economizar na escolha do seu plano, desta forma seu blog poderá passar um tempo maior em um servidor compartilhado até o momento em que precisar de uma VPS (Virtual Private Server ).
Read more

Blog na Digital Ocean

Bom pessoal, todos devem ter notado que em algum momento ou em posts anteriores eu falei sobre a troca da bluehost pela DigitalOcean. Isso ocorreu a umas 3 ou 4 semanas, e graças a quantidade de acessos que recebo diariamente a base de dados contratada com a DigitalOcean não está aguentando.

Como durante o fia eu fico sem a possibilidade de conectar, vocês devem ter pego ele fora. Mas isso está para se resolver.

1º – Ajustei as configurações que antes eram as básicas da instalação do banco para melhor performance;

2º Criei um swap para dar uma ajuda;

3º Vou analisar o tráfego de informações com os comportamentos e se realmente for necessário, farei os ajustes no core do WordPress e a compra de mais espaço para a base.

Agradeço a compreensão e continuem acessando.