Sobre Agile Coach

Agile Coach é basicamente um profissional com conhecimento e experiência em ágil, que tem por objetivo implantar, disseminar, adaptar e ser o agente da mudança no ambiente em que estiver inserido.

Um Agile Coach é muito mais que um Scrum Master, ele tem que ter a capacidade de inspirar e influenciar, pensando sempre no desenvolvimento das pessoas e dos times.

Além da experiência e essa capacidade de coaching, é importante que um Agile coaching tenha uma formação formal para que suas próprias capacidades de influenciar e inspirar sejam remodeladas.

Para me preparar de forma correta e massificar em minha mente está nova possibilidade, desde 2017 criei apartir do meu conhecimento, experiências e necessidades um cronograma de formações para executar durante 2018. Está formação para qualificação como Agile Coach está completa com a certificação de Coaching do expecional Adriano Sugimoto.

Somente realizar alguns cursos específicos não é o suficiente para estar apto, se exige toda uma mudança cultural, pessoal e profissional que você deve trabalhar continuamente.

Na minha visão, um Agile Coach deve procurar mais que o trabalho de disseminação do Agile, deve ser uma busca pessoal para que as pessoas se sintam bem implementando as práticas que mais se adaptam a realidade delas. É estudar e identificar metodologias que dentro desta realidade, Agile ou não, possam ser melhoradas.

Facebook e o que aprendemos com Elizabeth Holmes CEO da Theranos

Um CEO genial, uma tentativa de tirá-lo do conselho de sua Startup. Será que veremos a historia se repetir? Com os últimos acontecimentos ocorridos com o CEO e Presidente do conselho do Facebook Mark, originado pelos números desastrosos, vazamento de dados, Cambridge Analytics, envolvimento nas eleições, fakes news e queda na bolsa, me fez voltar a pesquisar sobre Elizabeth Holmes, CEO da Theranos.

Theranos foi uma startup criada em 2003 pela CEO Elizabeth Holmes aos 19 anos, com o objetivo de levar saúde e longevidade ao Mundo de forma rápida e barata. Através do aparelho batizado de Edison, poderia realizar mais de 200 exames de sangue, por um preço inferior a 3 dólares, e entregar resultados imediatos.

Holmes estava de olho em um mercado de mais de 75 milhões de dólares anuais a theranos foi avaliada em 9 bilhões de dólares e Holmes e se tornou uma celebridade do universo da tecnologia. Sendo inclusive chamada pela imprensa de a “Steve Jobs de saias”. Obteve o título de sexta empresária com menos de 40 anos mais rica dos Estados Unidos.

Eu assisti alguns vídeos e Holmes vendia sua ideia com uma paixão, que torna compreensível o alcance que tomado. Paixão pode vender mais que um produto real, e startups tem investido muito em paixão.

Em sua diretoria da Theranos era formada pelo ex-secretário de Estado Henry Kissinger, pelo ex-secretário de Defesa William Perry, pelo ex-senador Sam Nun e, ocupando papel de destaque, o ex-secretário de Estado George Schultz. Todos pertencentes ao Hoover Institution, um famoso instituto de pesquisa da Universidade de Stanford, na Califórnia. Universidade esta que Holmes cursou algumas aulas de engenharia quimica, que foram o suficiente para brilhar a ideia de criação da theranos.

Fora seus privilégios familiares que lhe forneceram uma boa rede de contatos, Holmes contou com o grande interesse do mercado americano em promessas “disruptivas”, por volta de 2010. Esse termo, cunhado em Harvard, foi e ainda é usado para definir os empreendimentos inovadores capazes de substituir, com soluções mais simples e baratas, as empresas líderes do mercado.

Além dessa ansiedade do mercado, Holmes foi beneficiada por uma filosofia típica das empresas de tecnologia do Vale do Silício em, tolerar a possibilidade de mentir sobre as qualidades de um produto para ganhar tempo até que se tornassem verdadeiras. Holmes, segundo fontes, não vendeu a sua parte da empresa, não criou patrimônio e seus salário de diretoria não é superior a 20 mil dólares mês.

Após processo de investigação da Securities and Exchange Commission, que regula o mercado de ações ter concluído que houve fraude, Holmes devolveu 700 milhões de dólares aos investidores e pagou 500 mil dólares em multas, deve ainda, ficar 10 anos sem se envolver em qualquer tipo de empresa. Hoje sua preocupação é com a possibilidade de 20 anos de prisão.

Mas a história de Holmes e da Theranos poderia render um excelente filme ou livro com direito a: conspirações, tramas, romance e fraudes bilionárias.

Holmes não é a única, temos muitos outros CEO’s e Startups que dariam uma boa história.

Fonte(s): https://www.linkedin.com/pulse/facebook-e-o-que-aprendemos-com-elizabeth-holmes-ceo-da-ederson-melo/

 

Recomendação de leitura de post

Acho que todos temos dúvidas, de quem somos, para onde vamos, o que nos tornamos. Acordei assim hoje, feriado e tive a oportunidade de ficar em casa, já que trabalho em uma ótima empresa e com uma equipe fenomenal.

Eu nunca pensei em parar, tenho planos, sim, para minha aposentadoria, mas até estes planos darão trabalho. Pra mim trabalhar não é um problema, é algo tão natural que eu faço.

Nunca fui estático, se você reparar minha page now, estou fazendo um monte de coisas, e olha que tenho outra lista muito maior, organizada por horas semana, não mais: na segunda faço isso e aquilo, na terça aquele outro e mais este. Este modelo se foi. Acredito ter evoluído, ou desevoluido para o atual, onde para fazer isso eu preciso de 1hrs da minha semana. E se não der? paciência, o mundo não é um lugar perfeito e estático,eu não sou, meu filho então, nem pensar.

E por mais clichê que possa parecer, aprendi isso sendo pai. Você não tem mais seu tempo, você tem o tempo que eles te deixam ter. Se você diz que não, então talvez não esteja dando a atenção suficiente para seu filho. Mas a questão não é somente tempo, é qualidade.

Qualidade em tudo que fazemos, o que me lembra um post que acabei de ler no linkedin e que gerou esta recomendação de leitura: SEJA UM PATO, falando do porque você deveria escolher ser o pato(naquelas entrevistas de vagas) e de uma frase neste mesmo post: “Feito é melhor que perfeito”.  Lema da Sheryl Sandberg, diretora de operações do Facebook. Essa frase/lema da Sheryl serve como  respostas as críticas de que ser um pato é: nadar, voar e caminhar, mas não fazer nenhum bem.

Hoje eu sou um pato, porque eu faço, faço as coisas acontecerem, mas não sei se tem sido o suficiente, se tenho avançado e quão bem estou indo, se é que estou indo para algum lugar.

Não negue que você as vezes, talvez raramente, para e pensa nisso também.

Resumindo todo este discurso acompanhado da recomendação para você ler o post, talvez certamente, hoje eu escolheria o pato.

 

 

Porque Agile Couch à Scrum Master

Você pode pensar, porque diabos alguém preferiria ser Agile Couch à Scrum Master. Fora o modismo, vamos entender um pouco mais sobre as diferenças e usar o exemplo da cultura ágil do Spotify®.

 

 

Hoje as empresas buscam por uma metodologia que possibilita ser mais ágeis em seus processos, principalmente quando falamos de desenvolvimento de software. A exemplo da  Spotify® lançada em 2008, a empresa era bastante focada em scrum. Scrum é uma abordagem de desenvolvimento muito ágil e madura, e isso trouxe uma cultura fortíssima para a empresa baseada em times.

Após alguns anos de crescimento a empresa passou a ter inúmeros times. Desta forma, percebeu-se que deveriam adaptar algumas práticas do scrum , deixaram muitas regras do scrum como opcionais. Essa é a forma correta de entender o que é ser ágil, e que essa agilidade vai além do Scrum.

Read more

Squad, times cross-funcionais

A evolução da aplicação de Metodologias Ágeis muda não somente como as empresas pensam seu trabalho, mas também como elas moldam seus times. Nesta ideia de equipes cross-funcional  e que surgiu o Squad, que ganhou maior visibilidade após ser divulgada de como a  Spotify, empresa sueca de streaming de música, organiza e estrutura seus times.

Squads

Squads são a unidade básica de organização dos times, geralmente em torno de uma feature, ou subsecção de uma funcionalidade. Podem ter até 10 membros, cross-funcional a ponto de conterem expertise dentro do grupo para desenvolver todos os aspectos do produto e definir suas prioridades alinhadas com o objetivo da empresa.

No modelo de Squad, não há uma figura de liderança formal. As lideranças são mais orgânicas, já que os times são auto-geridos. Eles se baseiam em aspectos técnicos e funcionais do trabalho e de seus projetos.

Read more

Sobre 2018 e hibot.chat

Sobre 2018, acho que começa com tudo, 2017 foi um bom ano, mas eu não vinha evoluindo pessoalmente, então planejei e coloquei em prática dois projetos pessoais:  Minha próxima linha de estudos avançando em Data Science, Artificial Intelligence e Cloud e minha nova aplicação, hibot.chat.

Minha próxima linha de estudos, avançando em Data Science, Artificial Intelligence e Cloud

São áreas que eu consegui chegar ao nível mínimo para avançar e finalmente aprender e praticar o que penso ser o futuro, quem sabe contribuir com a criação dele.

Data Science é uma ciência que estuda as informações, seu processo de captura, transformação, geração e, posteriormente, análise de dados. É o estudo disciplinado dos dados e informações inerentes ao negócio e todas as visões que podem cercar um determinado assunto.

Artificial Intelligence  vem nos cercando a anos, uma paixão são os livros de Isaac Asimov  ou como tratado em 1956, John McCarthy, um professor universitário, criou o termo para descrever um mundo em que as máquinas poderiam “resolver os tipos de problemas que hoje são reservados para humanos.”

Tem relação com à capacidade das máquinas de pensarem como seres humanos – de terem o poder de aprender, raciocinar, perceber, deliberar e decidir de forma racional e inteligente. Essas capacidades passam por várias áreas da ciência da computação como Machine Learning, Deep Learning, Processamento de Linguagem Natural e assim por diante.

Artificial Intelligence é um tema tão amplo que ficam para postagens futuras.

Cloud que venho a anos estudando tem um crescimento também exponencial e liberta empresas e profissionais do ciclo de fechamento, propiciando a evolução humana. Vejo até a possibilidade de uma mente coletiva originada da cloud.

O Google projeta que o futuro da nuvem será influenciado por um volume de transformações tecnológicas jamais vistas na história da indústria. A pressão pela inovação em produto tem puxado os provedores de TI a repensarem praticamente tudo na infraestrutura computacional.

Dessa forma, as capacidades criadas acelerarão a evolução da tecnologia de forma exponencial. Assim, o software será melhor, mais rápido e mais útil na tarefa de trazer retornos às empresas. A expectativa frente aos recursos computacionais será mais elevada com relação aos recursos de TI.

Além disso, as aplicações precisarão prever o que os usuários querem, logo, precisarão recursos de análise e machine learning. O cenário desencadeará uma postura de NoOps, que tende a acelerar a entrada de sistemas em produção em escala.

fonte externa não declarada.

Como tudo, será refletido em minhas postagens, mas nunca abandonando temas chaves e que hoje me vejo incluído como Gestão de liderança e metodologias e mobile.

 

Minha nova aplicação, hibot.chat

É mais que um sonho pessoal, é uma contribuição ao futuro, mesmo que tão simples comparado ao mercado. A criação de um projeto pessoal que dependia de conhecimento e muito trabalho. Se você me conhece, colocar a mão na massa nunca foi um problema, então resolvi dar o próximo passo.

Criei a hibot.chat, que hoje compreende menos de 500 palavras no idioma português, tem uma logica inicial implementada em machine learning que assimila de 4 em 4 dias novos conhecimentos. Já disponibilizado inclusive com possibilidade de interações.

hibot.chat é uma aplicação comercial, sendo disponibilizada no formato chatbot com capacidade de interação com atendimento humano dentro do nível necessário. Uma das ideias é quase zerar a necessidade de interação humana e liberando seu time para fazer o que realmente importa, diminuindo custos e atendendo corretamente os clientes. Tudo 24/7 e com comunicação de forma natural.

O projeto é evolutivo e longo, mas pretendo disponibilizar em inglês até 2019 todo conhecimento assimilado até lá.

Versões e evoluções serão informadas no site(hibot.chat), em redes sociais e blog(https://medium.com/hibotchat) da aplicação.

 

Todo esse novo conhecimento e projeto será compartilhado aqui também e me deixa muito feliz. Espero que gostem e compartilhem.

hibot.chat

medium.com/hibotchat

twitter.com/hibotchat

https://www.facebook.com/Hibotchat-1226255624185527/

Futuro com Home Office

Caso não saibam, sou fã da Automattic, criadora da plataforma WordPress. Tanto as ferramentas quanto a metodologia de trabalho são fantásticas, futurísticas e muito e frente.

No Brasil a nova Legislação trabalhista pode ter aberto uma brecha que permite a modalidade Home Office, mas o quanto estamos maduros pessoal e profissionalmente para esta metodologia. Pensando em refletir sobre o tema, tenho estudado um pouco mais e identificado os casos mais conhecidos para analisar.

A exemplo de empresas 100% remotas, você sempre vai encontrar o case da Elastic, uma empresa de software, não possui escritórios, mas contava ou conta com 500 funcionários em cerca de 35 países. Para construir uma cultura comum, a empresa os reúne periodicamente, reunindo seus engenheiros nos EUA ou na Europa para se encontrar duas vezes por ano, disse o CEO Shay Banon . Quando os funcionários não se conhecem e suas únicas interações são via email, texto ou serviços de mensagens como o Slack,

Para evitar conflitos de escalada, Elastic mantém um canal de vídeo constante. “Uma das regras que temos é quando algo chega a um ponto de ebulição, vá ao vídeo e conversa”, disse Banon .

Mas veja a Automattic, a empresa de tecnologia criadora da plataforma WordPress.com, que tem um belo escritório em um armazém convertido em São Francisco, com tetos altos, uma biblioteca euma porta de celeiro customizada . Lindo demais o lugar, amistoso pelas fotos para se ir trabalhar.

Mas depois que sua CEO Matt Mullenweg chegou a conclusão que os empregados não estavam tão presentes assim, resolveu colocar o endereço 140 Hawthorne a venda.

A Automattic sempre deu aos seus 550 funcionários a opção de trabalhar remotamente; O espaço de San Francisco era um espaço de co-trabalho opcional, disse o porta-voz Mark Armstrong. A empresa mantém escritórios similares na Cidade do Cabo, África do Sul e fora de Portland, Maine, e dá aos funcionários um salário de US$ 250 por mês, se eles quiserem usar escritórios comerciais em outros lugares.

 

Mas se eles quiserem trabalhar na Starbucks, a Automattic pagará seu café. Imagina isso!?

Na contra partida da Automattic, em 2013, Marissa Mayer, então CEO do Yahoo, terminou a política de Home Office da empresa, informando aos funcionários em um memorando que para melhorar os resultados seria ” precisamos trabalhar lado a lado”.

Outra gigante, a IBM, considerada por muitos pioneira no trabalho remoto, comunicou seus funcionários nos EUA para começar a trabalhar em escritórios. O objetivo é tornar a força de trabalho da empresa mais ágil e, de forma semelhante ao objetivo do Yahoo, promover a criatividade através do trabalho ” lado a lado”.

Cerca de um quarto dos funcionários dos EUA trabalham remotamente total ou parcialmente do seu tempo, de acordo com Gallup. Há evidências de que esses funcionários trabalham mais horas do que seus colegas vinculados ao escritório.

 

Os cases citadas servem para analisar e tentar começar uma discussão mais elaborada nos próximos posts.

O que te motiva a levantar da cama toda manhã de segunda-feira?

Você já pensou no que te motiva a levantar da cama toda manhã de segunda-feira? A mim escrever um pouco sobre o que tem me motivado a acordar todas as manhãs, principalmente as manhãs de segunda-feira já me motiva bastante.

Hoje não somente basta ter uma excelente formação, um bom emprego, bons colegas e parentes, conquistas pessoais e financeiras. Isso tudo já não seria um motivador? Eu diria que isso são resultados das nossas motivações.

Que fique claro, não sou um profissional em motivação ou tenho qualquer conhecimento sobre Motivação. Mas sei o que me cativa.

Esse sentimento é tão pessoal que só você pode saber realmente o que te ajuda a levantar e continuar, manhã após manhã. Porém, existem diversas formas de nos motivarmos, e é isso que quero explorar um pouco.

A palavra MOTIVAÇÃO deriva de “motivo”, que vem do Latim motivus, “o que impele, o que move”, de motus, particípio passado de movere, “impelir, colocar em movimento”. Temos daí que motivação é o seu motivo para a ação. E isso é algo interno, só seu.

Então o que me motiva a escrever este post? Escrever se tornou a forma de participar, de transmitir conhecimento, sentimentos, compartilhar.

O que me motiva a escrever em outros blogs estilo gourmet? Mostrar que sou mais do que trabalho? Sei mais do que aparento e sei coisas simples, como cozinhar.

O que mais desafia uma pessoa é a possibilidade de fazer a diferença, de participar ativamente e contribuir. E para me manter motivado eu gero novas atividades que me motivem a continuar. Pequenos desafios pessoais, que possam impactar outras pessoas. Cativar seria a melhor palavra.

O que buscamos como motivador de uma forma em geral:

1.   Aceitação: saber que as pessoas ao seu redor gostam de você e do seu trabalho.

2.   Curiosidade: ter sempre que pesquisar e buscar coisas diferentes para incorporar no seu trabalho.

3.   Domínio: ter certeza que o trabalho a ser desempenhado está dentro da sua alçada de conhecimento e ao mesmo tempo te leva a melhorar.

4.   Honra: saber que você consegue passar seus valores para a sua equipe e seu dia a dia na empresa.

5.   Liberdade: não depender de outras pessoas para realizar o seu trabalho.

6.   Objetivo: saber que seu trabalho está alinhado com seu objetivo de vida ou que você está trabalhando para um bem maior.

7.   Ordem: ter um mínimo de ordem e estrutura na empresa para que você possa desemepenhar o seu trabalho.

8.   Poder: saber que sua opinião será ouvida e levada em consideração na tomada de decisão.

9.   Relacionamento: ter um bom relacionamento social com seus colegas de trabalho.

10.  Status: saber que você tem um bom cargo na empresa e é reconhecido por isso.

Então seja transparente no que faz e nos seus objetivos. Isso é obrigatoriamente um lema. Não basta trabalhar, se errou, converse, aprenda. Aprender é o principal objetivo de ter passado por um erro.

Não esconda os sentimentos, insatisfação, frustração, felicidade, etc. Deve ser sim demonstrada, seja em um feedback ou em uma conversa mais casual.

Só não seja o chato que sempre está feliz demais ou chateado demais. Confesso que tenho meus momentos de reclamação também, afinal nem tudo esta sempre bem e você pode precisar transbordar este sentimento.

“O segredo da existência humana consiste não somente em viver, mas ainda encontrar o motivo para viver” (Dostoievski)

 

Reeditado em 22/08/2017 por Ederson Melo.

Papéis no Scrum: Product Owner, o Dono da Bola, Scrum Master, o Coach Proativo e Scrum Team

Scrum assim como muitas metodologias são formadas por papeis que fundamentam sua aplicação. Os papéis dentro do Scrum são compostos por: O Product Owner, Scrum Master e Team Scrum, que são suficientes para entregar software de alto valor agregado, de acordo com a metodologia Scrum.

Unindo e agregando conhecimento a meus posts anteriormente, temos uma descrição segundo o SBOK.

Product Owner, o Dono da Bola

O Product Owner é o dono do produto, é quem define os itens que compõem o Product Backlog e os prioriza nas Sprint Planning Meetings, pois fornece o conhecimento do negócio em forma de requisitos para a equipe assim como sua ordem de aplicação. Na prática, o Product Owner é a interface entre a empresa e os clientes.

O Product Owner Trabalha em conjunto com a equipe definindo as necessidades dos usuários, os requisitos técnicos, documentando-os conforme a necessidade, e determinando a ordem de sua execução. Ele gerencia o Product Backlog (que é o repositório de todas essas informações), mantendo-o ao nível de detalhe e qualidade que a equipe necessita.

O Product Owner também define o cronograma para liberação das releases, e faz a validação final para saber se as implementações têm as características e qualidade necessárias para a liberação.

O Scrum Team olha para o Product Backlog priorizado, seleciona os itens mais prioritários e se compromete a entregá-los ao final de um Sprint. Estes itens transformam-se no Sprint Backlog.

Daily-Scrum-edersonmelo

A equipe se compromete a executar um conjunto de atividades no Sprint e o Product Owner se compromete a não trazer novos requisitos para a equipe durante o Sprint. Requisitos podem mudar (e mudanças são encorajadas), mas apenas fora do Sprint. Uma vez que a equipe comece a trabalhar em um Sprint, ela permanece concentrada no objetivo traçado para o Sprint e novos requisitos não são aceitos.

Scrum Master, o Coach Proativo

O Scrum Master tem a responsabilidade de assegurar que a equipe respeite e siga os valores e as práticas do Scrum. Ele também protege a equipe assegurando que ela não se comprometa excessivamente com relação àquilo que é capaz de realizar durante um Sprint.

As responsabilidades do Scrum Master incluem:

  •  Remover as barreiras entre a equipe e o Product Owner.
  • O Scrum Master atua como facilitador do Daily Scrum e torna-se responsável por remover quaisquer obstáculos que sejam levantados pela equipe durante essas reuniões.
  • Melhorar a produtividade da equipe da forma que for possível.
  • Melhorar as práticas de engenharia e ferramentas para que cada incremento de funcionalidades seja potencialmente entregável.
  •  Manter as informações sobre o progresso da equipe visível a todos de uma forma clara e organizada.

Em termos práticos, o Scrum Master precisa ter em mente a vivência do Scrum para treinar e orientar os outros papéis, e educar e ajudar as outras partes interessadas que estão envolvidas no processo.

chickens-standup-edersonmelo

Ele deve manter atenção constante ao status do projeto em relação ao progresso esperado. Investigar e facilitar a resolução de quaisquer obstáculos que imobilizam o progresso e, geralmente, ser flexível o suficiente para identificar e lidar com quaisquer problemas que surjam. Ele deve proteger a equipe de perturbações externas.

O Scrum Master não atribui tarefas aos membros da equipe, isso é uma responsabilidade da equipe. Sua abordagem geral para a equipe é incentivá-la e facilitá-la na capacidade de tomada de decisões e resolução de problemas relacionados ao desenvolvimento, de modo que eles possam trabalhar com maior eficiência sem a necessidade de supervisão. Seu objetivo é ter uma equipe auto-organizável.

 E finalmente, Scrum Team

O Scrum Team é a equipe de desenvolvimento sem a necessidade de uma divisão funcional através de papéis tradicionais, tais como programador, designer, analista de testes ou arquiteto. Todos no projeto trabalham juntos para completar o conjunto de trabalho com o qual se comprometeram conjuntamente para um Sprint.

O Scrum Team é auto organizável, ou seja, quem decide quem faz o que, quais as funções de cada membro e o que cabe ou não na Sprint é o time.

Um Scrum Team típico tem de 6 a 10 pessoas, embora haja relatos de projetos Scrum com equipes maiores. A principal abordagem para trabalhar com equipes grandes no Scrum é usando o conceito de “Scrum of Scrums“.

edersonmelo-all-blacks-scrum

Cada Scrum Team trabalha normalmente, mas cada equipe também contribui com uma pessoa que deverá frequentar o Scrum of Scrums Meeting para coordenar o trabalho de múltiplas equipes Scrum. Esses encontros são análogos aos Daily Scrums, mas não acontecem necessariamente todos os dias. Fazer essa reunião duas ou três vezes por semana tende a ser suficiente na maioria das organizações.

Veja a importância efetiva de cada grupo definido no SBOK. Oportunizando a todos o mesmo grau de importância e compreensão do todo.

 

Como você pode aprender a programar!?

Lendo algumas matérias e assistindo alguns vídeos sobre Como aprender a Programar, cheguei até a imagem postada no fim do texto. Originária da freecodecamp ela exemplifica bem alguns níveis que o desenvolvedor terá de passar.  Não pense que hoje e futuramente se aplicará a ideia de que: Eu só sei fazer a linguagem x back-end e fim. Além de ridículo acho extremamente anti profissional.

Recentemente , várias visualizações incríveis das várias tecnologias utilizadas pelos desenvolvedores web em 2017 surgiram no web.

Estes são ótimos recursos para principiantes e especialistas. Eles definem claramente quais tecnologias você deve estar ciente de se você deseja obter um emprego como desenvolvedor web frontend, desenvolvedor web backend ou administrador do sistema.

Mas acho que eles são especialmente úteis para iniciantes absolutos aprendendo suas primeiras linhas de código.

Então, ao invés de gastar seu tempo tentando aprender cada linguagem e tecnologia de programação, você deve aprender o que todo desenvolvedor já deve saber:

Saiba como ler a documentação
Saiba como ler código-fonte
Saiba como depurar o código
Saiba como pedir ajuda

Dá uma olhada e se gostou, curte aí. Obrigado.