Ser Genial ou ter Atitude?

Com o passar do tempo e do ímpeto da juventude, você acaba vendo de uma forma mais amena seus próprios defeitos. Verdadeiramente, você descobre que eles são partes suas importantes, que defeitos fazem parte de você, ninguém é perfeito.

Tenho me auto avaliado, e isso não é fácil, mas é necessário se você quer ser uma pessoa melhor. Hoje tenho certeza de que não sou uma pessoa genial, daquelas de realizar maravilhosos brainstorms, de idealizar inovações fantásticas que mudariam o Mundo. Mas isso não me impede de seguir em frente. É bem mais trabalhoso, mas seria mais fácil se eu fosse genial?

Mas você já se pegou desconfiado das suas próprias competências e de não conseguir aceitar e admitir suas conquistas? Se sua resposta foi sim, você já passou pela síndrome do impostor. Passei por essa fase a alguns anos atrás e é bem comum em novos desafios.

Mas até que ponto a Genialidade e a Atitude podem influenciar no todo da nossa vida e na vida das demais pessoas? Vejo pessoas geniais escondidas e outras, nem tão geniais assim na mídia.

Não te faz pensar também se talvez aquela falta de atitude, escondida em uma ação teria feito mais a diferença?

E quando as duas coisas, atitude e genialidade se juntam, temos startups unicórnios, gênios premiados e exportados, grandes oradores e escritores.

Resumindo, é preciso ter atitude!  Arriscar, se expor e encarar a vida de frente. Afinal, o não você já tem e só se vive uma vez.

 

Velhos Novos Conhecimentos

Precisamos de mais resolvedores de problemas, desfazedores de nós, visionários com capacidade de realização, multiplicadores de conhecimento e sonhos.

Para entender melhor, pense que você é Matt Damon e está “Perdido em Marte”, sozinho, com suprimentos limitados e não sabe se algo poderá ajudá-lo. Sei que é dramático demais, mas muitas vezes você se sentirá assim.

A única saída é: Resolva você.

Penso assim diariamente, sou um resolvedor de problemas. Problemas do tipo: Não tenho especialistas em ferramentas da Atlassian, espero sentado o resgate ou corro atrás do conhecimento!?

Resposta: As ferramentas da Atlassian são excelentes e eu já trabalhava com muitas: Confluence, Jira, Bitbucket, trello, bamboo.. Mas certas dificuldades encontradas em certos cenários me fizeram correr atrás desde dois conhecimentos.

Acredite, conhecimento nunca é demais, mesmo que muitas vezes, eles saiam do seu foco.

Do not stop.

Déficit Educacional no Brasil e o contraste com a China

Como é preocupante esta notícia vinculada na BBC Brasil, globo.com e outros meios de comunicação, de que
mais da metade dos brasileiros não tem diploma do ensino médio, apontado pela OCDE.

Confesso que me surpreendeu e me preocupou. Nossos índices de desemprego em junho eram de 12,4%, e atingem 13 milhões de pessoas, segundo IBGE.

A exemplo da China que a alguns vários anos queimava livros e hoje tem suas escolas públicas como exemplo, seus pólos de tecnologia retem e importam talentos técnicos. Essa mudanca toda foi um plano adotado em 2015 com uma meta de 40 anos – para reduzir a disparidade de renda entre China e os países avançados e Está política foi denominada – chamado de “Made in China 2025”

As metas do Made in China 2025 incluem aumentar o conteúdo doméstico chinês de materiais essenciais para 40% até 2020 e 70% até 2025. O plano se concentra em campos de alta tecnologia, incluindo a indústria farmacêutica, que atualmente são de competência estrangeira.
Parte da base fundamental desse plano é investir fortemente em educação.

Diferente do que vemos no Brasil, que saúde e educação passam por um descaso unanime.

Enquanto discutimos problemas e não planejamos um futuro além dos 4 próximos anos, somos ultrapassados por quem discuti e planeja soluções a longo prazo.