Ciclo OODA na arte da guerra dos negócios rápidos

Estratégia é uma das disciplinas que deveria ter grande importância para nossa vida, ouso dizer que deveria ser ensinada nas escolas. Uma boa estratégia tem grande valor, basta observar sua ampla discussão no livro a Arte da Guerra, de Sun Tzu.

Pensando nisso, John Boyd, Coronel da Força Aérea Norte Americana nascido em 1927 desenvolveu um modelo para a tomada de decisão no combate aéreo, e sua potencial utilização ao mundo dos negócios tornou-se evidente. Sua história é um fato a parte e pode ser pesquisada para entender melhor seu objetivo, mas podemos resumir no que chamamos de ciclo OODA.

O Ciclo OODA é um modelo baseado em um ciclo de quatro pontos que apoia uma tomada de decisão rápida e eficaz.

Observar, Orientar, Decidir e Agir

Qual a diferença entre o OODA e o PDCA?

O ciclo do PDCA(ou ciclo de Deming) é uma abordagem analítica que pode ser usada de maneira interna. Dependendo do processo que estamos tentando melhorar, não é necessário consultar o ambiente externo ou realizar qualquer ajuste para que o ciclo do PDCA funcione.

O PDCA tem grande sucesso em chão de fábrica. Envolve o uso de um conjunto de dados para chegar a uma conclusão. Utilizamos os dados para tomar uma decisão sobre como proceder, nós verificamos e agimos para confirmar ou rejeitar a possibilidade analisada.

O ciclo OODA tem maior foco em sintetizar uma ação em um conjunto de dados, mesmo que incompletos, para tomar uma decisão rápida e efetiva.

Mas o ciclo OODA peca no aspecto da Qualidade e dos testes que não são as prioridades no topo das suas entregas, já que a visão é rapidez. Porque para acelerar o seu ciclo OODA, é preciso terminar os projetos mais rapidamente. O que leva o tempo de ciclo para o topo da lista de prioridades do gerenciamento de projetos.

Assim como a capacidade de “agir” nem sempre é simples o suficiente para ser um requisito atendido por um único projeto. Mesmo falando de ágil.

Mas poderia ser bem empregada com o uso de metodologias como a 6sigma, onde o PDCA também é usado.

FlowTime um Método para otimizar o foco

Quando utilizamos um método como Pomodo ou Chunking  o tempo pode acabar quando você ainda estava com foco produtivo na tarefa, naquele momento em que você sabe que não precisaria parar, você está com alto nível de concentração, atenção e foco.

Então é preciso de uma maior flexibilidade no período de produtividade em que se aproveite o custo/benefício do tempo, energia e concentração ao máximo.  Eis que entra a técnica de Flowtime, que é orientada ao foco e resolve esse problema.

Flowtime é o período de alto foco para produzir algo no estado de flow, o momento de produtividade máxima em que se utiliza a maior capacidade de energia física e mental que temos e da tarefa em si que estamos realizando.

Um flowtime tem duração de 10 a 90 minutos, e pode ser estendido de acordo com seu foco. Quando o período previsto
acabar e você ainda estiver com o foco em um nível alto e produtivo, deve-se continuar produzindo. Então deixe o cronometro por mais tempo e siga seu estado de produtividade.

Read more

Squad, times cross-funcionais

A evolução da aplicação de Metodologias Ágeis muda não somente como as empresas pensam seu trabalho, mas também como elas moldam seus times. Nesta ideia de equipes cross-funcional  e que surgiu o Squad, que ganhou maior visibilidade após ser divulgada de como a  Spotify, empresa sueca de streaming de música, organiza e estrutura seus times.

Squads

Squads são a unidade básica de organização dos times, geralmente em torno de uma feature, ou subsecção de uma funcionalidade. Podem ter até 10 membros, cross-funcional a ponto de conterem expertise dentro do grupo para desenvolver todos os aspectos do produto e definir suas prioridades alinhadas com o objetivo da empresa.

No modelo de Squad, não há uma figura de liderança formal. As lideranças são mais orgânicas, já que os times são auto-geridos. Eles se baseiam em aspectos técnicos e funcionais do trabalho e de seus projetos.

Read more

Método LATTE

Durante a leitura do livro, O Poder do Hábito, Charles Duhigg explica como a Starbucks ensinou seus funcionários, através do Método LATTE, a lidar com momentos de adversidades, proporcionando-lhes loops de hábito de força de vontade. O exemplo de quando um funcionário chamado Travis começou a trabalhar na Starbucks, seu gerente lhe apresentou os hábitos logo de cara, “Uma das coisas mais difíceis neste serviço é lidar com um cliente bravo”, o gerente de Travis lhe disse, “Quando alguém vem e começa a gritar com você porque recebeu a bebida errada, qual é sua primeira reação?”

“Não sei” disse Travis, “Acho que fico meio assustado ou bravo”, “Isso é natural”, disse o gerente “Mas nosso trabalho é proporcionar o melhor atendimento ao consumidor, mesmo quando há pressão.” O gerente abriu o manual da Starbucks e mostrou a Travis uma página que estava quase toda em branco. No topo lia-se: “Quando um cliente está descontente, meu plano é…” Este livro de exercícios é para você imaginar situações desagradáveis e anotar um plano de reação.

Um dos sistemas usados pela Starbucks é chamado de método LATTE e é baseado em ouvir o cliente (Listen), reconhecer a reclamação (Acknowledge), tomar uma atitude para resolver o problema (Take Action), agradecer (Thank), e então, explicar por que o problema aconteceu (Explain).

Read more

Micro Curso – Iniciando com a metodologia Scrum

Micro Curso de Scrum Grátis

Está cansado de procurar por milhares informações desestruturadas no Google e Youtube sobre Scrum? Bom, resolvi dar uma mão e unir alguns posts que na minha visão formam um curso básico para você conhecer a metodologia Scrum.

Uma observação importante, este Micro Curso assim como os demais, não possui qualquer certificado, ele serve para ajudar você a conhecer o Scrum.

Porque Scrum?

Scrum – Fábula da Galinha e o Porco

Scrum: Product Backlog

Scrum: Sprint Planning Meeting

Scrum: Daily

Scrum: Scrum Master

Scrum: Team

Scrum: Product Owner

Scrum: Burndown

Scrum: Sprint Backlog

Scrum: Sprint Retrospective

Scrum: Sprint Review Meeting

Scrum Equipe de Manutenção de Sistemas

Equipe ideal para Manutenção Sistemas com Scrum

Semana Pomodoro

Essa semana discutimos bastante sobre Pomodoro, uma técnica que muito me agrada, mas que reconheço não atender a todos os casos.

Mas sempre podemos ser flexíveis e adaptáveis a inovações e novidades, mesmos em casos de técnicas que existma a mais de 20 anos. Para você, alguma pode ser novidade.

Então segue a lista de Posts sobre Pomodoros para quem desejar estudar a técnica mais a fundo:

Pomodoro – Melhorias e métricas

Pomodoro – Críticas

Pomodoro – É a Metodologia Mais Popular de Produtividade

Pomodoro – Como fazer a Técnica Funcionar Melhor

Pomodoro – Distrações

Reorganização com Pomodoro

A técnica pomodoro e outras metodologias de produtividade

A técnica pomodoro funciona para todos

Uso da Técnica Pomodoro

Regras – The Pomodoro Technique

Mais Pomodoro

Técnica Pomodoro

 

Pomodoro – Melhorias e métricas

Continuando, ter anotações ajuda não apenas para calcular o quarto Pomodoro que dá direito a uma folga maior, mas também de associar diferentes atividades com quantidades de Pomodoros. Ao final do dia, podemos visualizar o que conseguimos produzir, e quantos Pomodoros foram utilizados, repensando se tais atividades eram realmente necessárias e se existem formas de diminuir o tempo que empregamos para atingir os mesmos resultados.

Read more

Pomodoro – Críticas

Existem críticas sim sobre o pomodoro, nem todos gostam ou conseguem implementar, como falamos a alguns posts atrás. A metodologia também não é adequada a tudo.

Colin T. Miller , um funcionário da Yahoo! e blogueiro, diz que tentou usar a Técnica Pomodoro e teve alguns problemas.

 

“Pomodoros são uma questão de tudo ou nada”, diz ele. “Ou você trabalhar por 25 minutos em linha reta para marcar o seu X ou você não completa um pomodoro. Tendo que a marcação de um X é o sinal mensurável do progresso, você começa a se coíbe de exercer uma atividade que não vai resultar em um X. Por exemplo … Se uma reunião ficar no caminho de pomodoros. Digamos que eu tenha uma reunião marcada para 16:30. É atualmente 16:10, significando que eu só tenho 20 minutos entre agora eo encontro … Nesses casos eu tendo a não iniciar um pomodoro porque eu não vou ter tempo suficiente para concluí-lo de qualquer maneira. ”

Read more

Pomodoro – É a Metodologia Mais Popular de Produtividade

Estudando como sempre, técnicas de produtividade, encontrei na lifehacker uma pesquisa sobre as técnicas mais populares de produtividade. E para minha surpresa, ou não, a campeã foi a metodologia pomodoro.

A votação foi apertada durante todo fim de semana, principalmente para os três primeiros lugares, mas a Técnica Pomodoro saiu por cima com 37% dos votos, com Getting Things Done (GTD) logo atrás em segundo lugar com 28%. Em terceiro lugar ficou a técnica híbrida ou personalizada de produtividade, aquele que você referencia elementos de outras metodologias combinando ou que você tinha construído para atender seu fluxo de trabalho. Em quarto lugar foi de Seinfeld’s Productivity Secret, também conhecido como “não quebrar a corrente”, com 11% dos votos.

Read more

Pomodoro – Como fazer a Técnica Funcionar Melhor

Nem todas as técnicas atendem a todos os casos, as vezes tentamos adaptar uma metodologia sem analisar se essa metodologia é possível para sua necessidade. A técnica Pomodoro é uma delas.

A Técnica Pomodoro é freqüentemente defendido por desenvolvedores, designers e outras pessoas que têm pacotes regulares de trabalho criativo. Essencialmente, as pessoas que têm de realmente produzir algo a ser revisto por outros. Isso significa que todos, de autores que escrevem seu próximo livro para engenheiros de software que trabalham com o próximo grande jogo de vídeo podem se beneficiar com as sessões de trabalho com tempo definido e quebras que Pomodoro oferece.

Read more