Déficit Educacional no Brasil e o contraste com a China

Como é preocupante esta notícia vinculada na BBC Brasil, globo.com e outros meios de comunicação, de que
mais da metade dos brasileiros não tem diploma do ensino médio, apontado pela OCDE.

Confesso que me surpreendeu e me preocupou. Nossos índices de desemprego em junho eram de 12,4%, e atingem 13 milhões de pessoas, segundo IBGE.

A exemplo da China que a alguns vários anos queimava livros e hoje tem suas escolas públicas como exemplo, seus pólos de tecnologia retem e importam talentos técnicos. Essa mudanca toda foi um plano adotado em 2015 com uma meta de 40 anos – para reduzir a disparidade de renda entre China e os países avançados e Está política foi denominada – chamado de “Made in China 2025”

As metas do Made in China 2025 incluem aumentar o conteúdo doméstico chinês de materiais essenciais para 40% até 2020 e 70% até 2025. O plano se concentra em campos de alta tecnologia, incluindo a indústria farmacêutica, que atualmente são de competência estrangeira.
Parte da base fundamental desse plano é investir fortemente em educação.

Diferente do que vemos no Brasil, que saúde e educação passam por um descaso unanime.

Enquanto discutimos problemas e não planejamos um futuro além dos 4 próximos anos, somos ultrapassados por quem discuti e planeja soluções a longo prazo.