Segundo Robin Page, designer de interiores da Volvo, onde antes em seus estúdio de design em Gotemburgo, eram postadas idéias inspiradoras sobre carros,  agora eles estão casas, barcos e gadgets.  “Um novo mundo está sendo aberto.” A razão? Carros que se dirigem.

Os Carro Autônomo introduzem três grandes mudanças. O primeiro é o que você pode fazer em um carro quando você não está atrás do volante. O protótipo de carro sem motor da Volvo, o Concept 26, tem telas que se dobram para fora das portas e assentos reclináveis, como uma cabine de avião de primeira classe para pessoas que querem ler seus e-mails ou tirar uma soneca. Confesso que eu gostaria de ler, mas não sei se não tiraria uma boa soneca até chegar ao estacionamento da firma.

A Ford patenteou um design para uma tela no carro que cobre o pára-brisa. “O carro está se tornando uma espécie de ‘terceiro espaço'”, diz Hartmut Sinkwitz da Mercedes, “uma dobradiça entre casa e escritório”.

As idéias estão ficando mais radicais. “Se você não tem que dirigir, você pode entrar em experiências”, segundo Page a revista The Economist. “Estamos pensando em fazer nossos interiores escapar da cidade, levando você para as montanhas ou floresta com projeções, cheiro e sons”. Ele também está pensando em flexibilidade. Nos barcos o espaço é muitas vezes multiuso. “Você pode ter seis pessoas sentadas ao redor de uma mesa que depois se transforma em uma cama.”

A segunda mudança é a segurança. A tecnologia sem condutor reduzirá os acidentes em mais de 90%. “Isso significa que você não tem que construir carros como tanques, com zonas de amassamento e carroçaria cheia de airbags”, diz Dale Harrow, professor de design de veículos no Royal College of Art de Londres. Este ano, ele está lançando um departamento interdisciplinar, para misturar seus alunos com arquitetos e fabricantes de móveis. “Veremos mais vidro na carroceria, como nas casas modernistas, e os materiais leves que você adquire no mobiliário contemporâneo: assentos feitos de diversos materiais como a fibra de carbono moldada. ”

O terceiro fator é a marca. “Os interiores serão a principal diferença entre os fabricantes de automóveis”, diz Harrow. “…como uma competição de materiais e qualidade, isso é sobre como o carro permite que você ocupe seu tempo.”

É ou não é bacana pensar em todas essas possibilidades para reinventar um mundo que começou muito lá atrás com a carroça?

Pai do Pedro, Marido e Workaholic com vida social. Mais em https://www.edersonmelo.com/quem-sou/