Há alguns dias conhecia Análise MoSCoW , um técnica para ajudar na priorização de itens, escopo, requisitos, classificação de mudanças…

Atualmente o Dynamic Systems Development Method (DSDM) Consortium possui os direitos de propriedade intelectual da MoSCoW, doados pelo seu criador Dai Clegg e significa:

Must Have (Deve Ter) – Tudo o que é imprescindível para o escopo do projeto. Aquelas funcionalidades CORE da sua aplicação, que sem elas a aplicação perderia totalmente o sentido.

Should Have (Deveria Ter) – Tudo o que é importante ter no escopo do projeto, mas que não são imprescindíveis. Funcionalidades que se por ventura não forem desenvolvidas, não farão com que o produto perca o seu valor de negócio.

Could Have (Poderia Ter) – Tudo o que seria bom ter, mas não são importantes. É aquele item que faz brilhar os olhos do cliente.

Won’t Have for Now (Não Terá por Enquanto) – Tudo o que não será desenvolvido por enquanto, pois o won’t have for now, não geram valor de negócio no momento.

Vantagens em utilizar a Técnica MoSCoW

  • Num planejamento da release, um PO poderia decidir que todas as estórias que estão classificadas e priorizadas com Must Have e Should Have deverão ser implementadas até a data da release.
  • O PO poderia, analisando o avanço do projeto, incluir uma estória no Backlog, classificá-la como sendo Could Have e definir todas as estórias classificadas com este valor de negócio, devendo ser discutidas previamente com o cliente.
  • OPO não terá maiores dificuldades em demonstrar redução nos custos do projeto, caso ele tenha classificado algumas estórias como Won’t Have for Now, e tais estórias, posteriormente, se fizeram de fato desnecessárias.

MoSCoW e as 3 ações (Dividir, Priorizar e Descartar)

Todas as estórias que têm valor de negócio Must Have, deverão ser refinadas. Elas precisam ser entendidas pelo time,  quebradas em estórias menores.

Todas as estórias que estiverem com Must Have e Should Have são prioritárias, precisam ser desenvolvidas na Sprint atual ou na próxima. (PRIORIZAR)

Todas as estórias que estiverem com Won’t Have for Now devem ser descartadas, pelo menos por enquanto. (DESCARTAR)

Eu vejo muitas oportunidades com a técnica, que se bem empregada, pode auxiliar muito a criação do backlog do projeto.

Apesar de ser Formado e Pós Graduado em Gestão de Projetos, estou muito aprofundado em Metodologias Ágeis, e estes estudos tem proporcionado uma gama maior de conhecimentos em novas técnicas como a MoSCoW . Sei que para muitos e que fica comprovado pela sua história, ela não é propriamente nova, mas hoje que eu a conheço melhor a vejo com outros olhos.

Aproveitem a leitura e pesquisem mais, colaborem e distribuam o conhecimento para evoluirmos juntos.

 

Pai do Pedro, Marido e Workaholic com vida social. Mais em https://www.edersonmelo.com/quem-sou/